Servidores da UEM decidem colocar fim a greve e trabalho será retomado na segunda, 19

156

Os servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) aprovaram na tarde desta terça-feira, 13, por maioria dos votos, a suspensão da greve na instituição. Com isso, as aulas e todas as atividades na UEM devem ser retomadas na segunda-feira, dia 19 de agosto.

A greve durou 48 dias em luta pela recomposição salarial. De acordo com os representantes dos trabalhadores, hoje, as perdas salariais ultrapassam os 17%. Depois que o governo protocolou a proposta de reposição a partir de 1 de janeiro de 2020, os sindicatos unificados resolveram chamar a Assembleia para deliberar sobre qual rumo tomar. A categoria entendeu que mesmo não atingindo os objetivos, houve avanços com esta greve.

Segundo o presidente do Sinteemar, José Maria Marques, o movimento partiu do zero para 2%. Além disso, houve a retirada do PL 04/2019, que congelaria as carreiras por 20 anos; Prorrogação da discussão do anteprojeto de Lei Geral das Universidades – LGU para até 30 de agosto; retirada das condicionantes: fim das licenças-prêmio e pagamento de parte da data-base desvinculada da evolução da receita, ficando 2% em janeiro de 2020, mais 1,5% em janeiro de 2021 e janeiro de 2022 e por fim, a garantia de renovação dos contratos de professores temporários a UEM.

O governo também vai reajustar os salários dos servidores que ganham menos que o piso regional.

COMPARTILHAR