Guarda Municipal organiza força-tarefa para combater o uso de linhas com cerol em Maringá

231
A Guarda Municipal realiza reunião na quinta, 1º, para organizar ações conjuntas de combate ao uso de linhas com cerol (mistura de cola com vidro) na recreação com pipas. Conselhos tutelares, secretarias municipais e as polícias Civil e Militar foram convidados a participar do evento.
“O objetivo não é multar e proibir a diversão dos praticantes, mas evitar acidentes e preservar a vida”, salienta o subcomandante da Guarda Municipal, Ricardo de Farias. “Nos últimos 15 dias recebemos 20 denúncias (as primeiras do ano) e sabemos das consequências que o cerol pode oferecer como lesões graves e até mesmos fatais”, explica.
Uma ação que tem por objetivo “derrubar” outras pipas pode terminar em tragédias envolvendo não apenas praticantes, mas também pedestres, motociclistas, ciclistas e até mesmo pássaros. Além do cerol, outro perigo é a linha chilena, mistura de componentes de alumínio e quartzo, com aumento considerável de corte.
De acordo com a lei municipal 6046/2003, o uso de cerol tem como penalidade multa de R$ 100 ao infrator, se pessoa física, aplicada em dobro em reincidência. Será imposta aos pais e responsáveis nos casos de praticantes crianças e adolescentes. Já a comercialização de cerol, quando se tratar de pessoa jurídica, sujeita o estabelecimento à multa de R$ 500, aplicada em dobro a cada nova reincidência, suspensão e até cassação do alvará de funcionamento.
COMPARTILHAR