As lavanderias de Maringá estão na mira da Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema). Começou nesta semana, uma força-tarefa para fiscalizar as empresas em Maringá. A ação foi motivada após reclamações na ouvidoria de possíveis poluições de córregos por estabelecimentos do setor.

Além da Sema, a força-tarefa reúne o Instituto de Água e Terra (IAT) – extinto IAP, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Saúde e setores de fiscalização municipal. Na primeira empresa a ser fiscalizada, foram vistoriados alvarás, licenças ambientais e documentos tributários, entre outros. Também vistoriados as condições sanitárias e de segurança, lançamento de efluentes, áreas de tratamento e demais setores. Os órgãos, conforme a competência, emitirão nos próximos dias laudos a serem inclusos em um relatório geral da Sema.

“A força-tarefa não se limitará apenas a um estabelecimento, mas vai chegar a todas empresas do setor. As ações devem ser transparentes e com o objetivo exclusivo da responsabilidade ambiental. Não queremos expor nem denigrir a imagem do setor”, afirma o secretário de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, Marco Antonio Lopes de Azevedo.

Atualmente o município conta com 35 empresas cadastradas, cerca de dez são classificadas como de alto impacto ambiental. Empresas de baixo impacto serão vistoriadas independentemente pelos órgãos. A Sanepar também inspecionará a rede de esgoto para a constatação de quaisquer irregularidades.

COMPARTILHAR