POLICIAL

Acusado pela morte da adolescente Jeniffer Tavares é condenado a 29 anos e 6 meses de prisão

Após pouco mais de 12 horas sentado no banco dos réus, Carlos Alberto Dias da Silva, 33 anos, foi condenado a 29 anos e 6 meses, pela morte da adolescente Jeniffer Tavares, de 17 anos a época. A sentença foi proferida pelo juiz criminal Bruno Henrique Golon. A condenação teve os seguintes agravantes: impossibilitar defesa da vitima, por asfixia, estupro, ocultação de cadáver e fraude processual.

Da decisão, cabe recurso. Silva vai cumprir a pena em regime fechado. O irmão do condenado, que também era acusado por ocultação de cadáver e fraude processual, pois teria ido buscar objetos do motel depois que Carlos saiu do local, foi absolvido. O Ministério Público entendeu que ele não teria cometido os crimes e pediu pela absolvição. Os dois agravantes também foram imputados a Carlos Alberto.

Crime
O assassinato aconteceu em 2019, no interior de um motel, na PR-323, em Paiçandu. Após matar a vítima, o corpo foi encontrado em um loteamento na região norte de Maringá. Ao longo de todo o júri, familiares da jovem acompanharam os depoimentos.