POLICIAL

Defesa alega problema de saúde e novo júri do ‘Maníaco da Torre’ que seria nesta quinta, 9, é adiado

O quinto júri de Roneys Fon Firmino Gomes, de 47 anos, que estava programado para acontecer nesta quinta-feira, 9, foi adiado. Uma das advogadas que defende do homem que ficou conhecido como ‘Maníaco da Torre’ não compareceu ao Fórum de Maringá sob a alegação de que está com um dos pés lesionado e por isso não teria condições de participar do júri.

Apesar dos pedidos que foram indeferidos pelo juiz Cláudio Camargo dos Santos, os advogados não foram e o júri precisou ser adiado. “É estranho porque a advogada já estava com este problema nos dois júris anteriores e mesmo assim participou. Nesta semana, ela apresentou dois clientes na delegacia de Maringá e estava escoltando os investigados, ou seja, teria condições de participar”, disse o promotor Edson Cemensati ao programa Bora Maringá, da Band Maringá.

Gomes seria julgado pela morte de Mara Josiane da Silva. O crime ocorreu em 2015 quando a vítima tinha 36 anos. Foi justamente após a morte dessa mulher que Gomes foi preso. Após ser encaminhado para a 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá, a Polícia Civil apurou a participação dele em uma série de crimes cometidos anteriormente. Em razão desse adiamento, o júri deste caso deve ocorrer apenas em 2023.

O Maníaco da Torre já foi condenado a 73 anos de prisão pela morte de três mulheres. Ele foi absolvido de uma quarta morte.