A CIDADE

Instituto Ambiental de Maringá inaugura no fim de semana mais uma unidade de conservação ambiental

Maringá comemora o Dia Internacional da Biodiversidade, celebrado em 22 de maio e inaugura mais uma Unidade de Conservação, a nona do município. O Instituto Água e Terra (IAT) aceitou a proposta do Instituto Ambiental de Maringá (IAM) para a transformação do Parque Municipal Sumaré, na região norte da cidade, em uma Unidade de Conservação da categoria Proteção Integral.

Com a mudança, Maringá ganha mais uma área importante para preservação da fauna e flora, educação ambiental e pesquisa. O local agora faz parte do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (lei federal nº 9.985/2000). Entre os dias 1 e 6 de junho, durante a Semana do Meio Ambiente, serão realizadas várias ações para marcar a transformação do espaço em Unidade de Conservação.

O Parque Municipal Sumaré tem mais de 30,9 mil m² e fica localizado na Rua Pioneiro Alfredo José da Costa, próximo ao córrego Isalto. Criado por meio da lei municipal nº 9380 de 2012, o parque é um fragmento remanescente da Mata Atlântica com predomínio de espécies nativas e funciona como um importante refúgio da fauna silvestre na região.

Para a diretora-presidente do Instituto Ambiental de Maringá, Juliane Aparecida Kerkhoff, o reconhecimento de áreas como Unidade de Conservação representa um ganho ambiental importante para a cidade. “Essa mudança garante maior proteção legal para a área e protege ainda mais o local, contribui para o equilíbrio da fauna e flora, permeabilização, qualidade da água e de vida de toda a comunidade”, destaca.

A partir de agora, o local também passa a receber ICMS Ecológico, um repasse financeiro do governo estadual para os municípios que investem na proteção ambiental. Segundo Juliane Kerkhoff, a inclusão de demais áreas de preservação da cidade é um dos objetivos do IAM. Além disso, o órgão também pretende elaborar o plano de manejo das áreas que ainda não têm.

A Unidade de Conservação é considerada como Proteção Integral, o que significa que é permitido apenas o uso indireto dos recursos naturais, não envolvendo consumo, coleta ou dano aos recursos naturais. Com isso, o local é voltado apenas para a educação ambiental e pesquisa científica, sendo fechado para visitação.

Maringá tem nove Unidades de Conservação, todas de Proteção Integral. Quais são:

• Parque Borba Gato;
• Parque das Palmeiras;
• Parque das Perobas;
• Parque do Cinquentenário;
• Parque do Ingá;
• Parque do Sabiá;
• Parque dos Pioneiros;
• Parque Guayapó;
• Parque Sumaré.