A CIDADE

Temporal derruba mais de 220 árvores em Maringá, segundo balanço da prefeitura

O Simepar informa que a força dos ventos foi principal causa dos danos do temporal do último sábado (23) em Maringá. Segundo a estação climatológica, o registro foi de ventos de 79,9 km/h.

O volume de chuva não foi tão grande, segundo dados do Simepar. Foi registrado 18,4 milímetros, no período entre 3h15 e 6h15. Foi um quarto do que é previsto para todo o mês de abril.

Comparando com outro temporal na cidade, o de 14 de setembro do ano passado, a Estação Climatológica da UEM registrou 29 milímetros de chuva. Na data, também foram muitos danos por toda Maringá em menos de 20 minutos de chuva.

A Prefeitura de Maringá registrou 222 árvores caídas. E a Copel registrou 30 mil residências sem energia elétrica. O trabalho integrado passou por toda a cidade e os serviços e normalidade foram estabelecidos gradualmente.

ALERTA – No temporal do último sábado a situação foi pior. Já foram mais de 700 chamados em toda a cidade. A Prefeitura registrou serviços em aproximadamente 500 árvores, entre quedas, podas e remoção. Também foram distribuídos mais de 9 mil m² de lonas para ajudar famílias que tiveram as casas destelhadas. E a Copel registrou 116 mil residências sem energia elétrica.

O quadro caracterizou alerta máximo em Maringá, com equipes de voluntários e órgãos públicos de outras cidades trabalhando em Maringá para estabelecer a ordem. A previsão é de tempo bom até o próximo final de semana, com temperatura variando entre 20ºC e 32ºC.