POLICIAL

Maringá recebe obra na Delegacia de Homicídios e nova Central de Flagrantes

Maringá conta agora com uma Delegacia de Homicídios reestruturada e uma nova Central de Flagrantes. A inauguração das estruturas, dentro do complexo da 9ª Subdivisão Policial (SDP), ocorreu nesta sexta-feira (16) e contou com a presença do secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares, e do delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach. Também foi inaugurada a nova sede da Corregedoria da Polícia Civil de Maringá.

A Delegacia de Homicídios passou por uma reforma de aproximadamente oito meses e avaliada em R$ 200 mil. O investimento foi feito com recursos do fundo rotativo da própria delegacia, Procuradoria do Trabalho e Conselho de Segurança de Maringá. “Ter uma unidade totalmente reformada é um incentivo ao nosso policial da ponta, que trabalha diariamente para fornecer um atendimento digno a todos os paranaenses. É uma honra inaugurar uma estrutura que demonstra nosso reconhecimento por esta instituição que nos apresenta constantemente bons resultados”, afirmou o secretário.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, as reformas nas unidades fazem parte do planejamento estratégico da instituição. “Essa revitalização e a melhoria da infraestrutura, das condições dos prédios interfere diretamente na qualidade do serviço que é prestado à população”, disse ele. “A ação visa cumprir dois objetivos: melhorar a qualidade do atendimento e valorizar o policial civil de forma que ele possa ter boas condições de trabalho”, declarou.

Melhoria
O prédio da 9ª Subdivisão Policial de Maringá era antigo e, para melhorar o atendimento ao público, o local passou por uma reforma para criação de salas, colocação de pisos e novas mobílias. Até essa inauguração, Maringá não tinha um local adequado para a Central de Flagrantes e, com isso, será possível dar maior celeridade aos atendimentos no local.

O delegado-titular da 9ª Subdivisão Policial de Maringá, Adão Vagner Loureiro, reforçou que o objetivo é melhorar a qualidade e a prestação de serviço ao cidadão. “Era inadmissível um plantão policial ser localizado nos fundos da delegacia, as pessoas não conseguiam encontrar o atendimento devido. Hoje o cidadão tem o acesso fácil, com tudo arrumado e a possibilidade de fazer o seu registro, sendo atendido pelo policial em uma instalação digna, como é também Delegacia de Homicídios”, explicou.

A Delegacia de Homicídios de Maringá já funcionava na 9ª SDP antes da reforma. O delegado-titular da unidade comentou que uma melhor estrutura colabora para que o índice de elucidação de crimes na região continue alto. “O empenho dos policiais, a competência e a condição técnica são fatores principais, mas uma estrutura adequada, aliada à condição de trabalho para o policial fazer a sua atividade, certamente melhoram o atendimento e os resultados. Temos hoje em Maringá mais de 90% de elucidação de homicídios, e a ideia é melhorar cada vez mais”, completou o delegado Loureiro.

Integração
Já para o titular da Delegacia de Homicídios de Maringá, Diego Elias de Freitas, a obra é um grande trabalho conjunto, que contou com o apoio da 9ª SDP, da Divisão de Polícia do Interior, do Departamento da Polícia Civil, da Secretaria da Segurança Pública e do Governo do Estado.

“A integração ajudou bastante na implementação dessa nova delegacia de homicídios de Maringá. Trata-se de um prédio excelente, no sentido de nos ajudar a desenvolver o trabalho. Creio que com essa nova estrutura, as ações desenvolvidas por toda a equipe tendem a melhorar ainda mais, disse. O endereço onde ficam as unidades é no terreno do complexo da 9ª SDP, na Avenida Mandacarú, 560, Vila Progresso, em Maringá.

Ações
Durante a solenidade, o secretário Marinho comentou, ainda, sobre o trabalho de retirada de veículos apreendidos de pátios de delegacias da Polícia Civil em todo o Estado. Segundo ele, com essa ação é possível melhorar o atendimento para a população que precisa ir até as unidades, fornecer maior qualidade de vida aos moradores das regiões, liberar as ruas no entorno para circulação de automóveis, além de evitar possíveis focos de dengue no local. Mais de 1.700 mil veículos já foram removidos de pátios das delegacias do Paraná e outros 3,4 mil veículos inservíveis foram leiloados.

Outra medida citada na solenidade foi a assinatura recente do Termo de Cooperação Técnica e compartilhamento de dados entre a Secretaria da Segurança Pública e Maringá. A iniciativa permite criar uma rede integrada de informações que tem o objetivo aprimorar a qualidade dos dados disponíveis na área de segurança, tanto dos municípios quanto do Estado como um todo.

Corregedoria da Polícia Civil de Maringá ganha nova sede
A Corregedoria da Polícia Civil de Maringá agora com nova sede, no bairro Jardim Alvorada. O local inaugurado nesta sexta-feira oferece um ambiente mais adequado e seguro aos policiais civis responsáveis pelos procedimentos administrativos da instituição.

“O trabalho desenvolvido por uma unidade como essa, de fiscalização e correição, é essencial para que nossa atuação no Estado seja reconhecida. Somente com um prédio digno e uma equipe capacitada como a que encontramos aqui, conseguimos desempenhar as atividades da melhor forma, sempre pensando no bem-estar dos paranaenses”, disse o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, a nova estrutura para a Corregedoria significa o fortalecimento do órgão responsável pelo controle interno da Polícia Civil. “É muito importante inaugurar um prédio com boas condições para que os policiais possam exercer as atividades da Polícia Civil em Maringá. Isso faz parte do nosso planejamento e é o que pretendemos continuar fazendo, investir na valorização do policial civil e nas condições de trabalho”, ressaltou.

O prédio, que antes abrigou a sede do 3º Distrito Policial, foi totalmente reformado. Localizada na Rua São Lourenço, 730, no Jardim Alvorada, a estrutura conta com salas adequadas para o atendimento e conforto dos servidores. A obra, acrescenta Rockembach, contou com apoio da sociedade civil organizada, por meio do Conseg Maringá.

O corrregedor-geral da Polícia Civil do Paraná, delegado Marcelo Lemos de Oliveira, ressaltou que a iniciativa de reestruturar e modernizar o prédio é um exemplo para todo o Paraná. “Trata-se de um avanço espetacular para a comunidade de Maringá e toda região, principalmente voltado ao atendimento daquelas pessoas mais carentes da sociedade. Temos aqui instalações dignas, que valorizam o policial civil, que vai executar um serviço de melhor qualidade”, afirmou.

De acordo com a delegada responsável pela Corregedoria da região Noroeste, Emilene Locatelli, todo o processo para a reforma contou com auxílio de parceiros. “Quando recebemos o convite para assumir a unidade da área Noroeste, encontramos uma estrutura muito precária, que não demonstrava o valor que tem uma corregedoria. Com a ajuda do Ministério Público do Trabalho e também do Conselho de Segurança do município, conseguimos fazer a reforma desse prédio, que hoje é moderno e atende às necessidades, tanto dos usuários, quanto da população em geral”, disse.

De acordo com ela, o órgão tem papel fundamental. “Uma corregedoria forte é muito importante para uma Polícia Civil forte. Acredito que a nova instalação só veio coroar o trabalho que está sendo desenvolvido aqui”, concluiu Locatelli.

A Corregedoria da Polícia Civil é responsável pela fiscalização dos serviços prestados pela Polícia Judiciária, promoção e apuração das infrações penais e administrativas, orientação e coordenação das atividades das autoridades disciplinares. A intenção da Polícia Civil é ampliar e fortalecer a atuação da Corregedoria em todo o Paraná.

ANÚNCIANTES VIP´S