POLICIAL

Reviravolta no caso da criança engasgada de Mandaguaçu: padrasto é preso pela Polícia Civil

A Polícia Civil de Maringá, através do Nucria (Núcleo de Proteção a Criança e ao Adolescente), com o apoio de investigadores da 9ª Subdivisão Policial (SDP), cumpriu nesta sexta-feira, 19, mandado de busca e apreensão contra um suspeito de ter praticado crimes de lesão corporal gravíssima contra um menino de 4 anos, e estupro de vulnerável contra outra crianca – uma menina de 8 anos de idade.

Os fatos ocorreram na cidade de Mandaguaçu. O investigado à época do fato contava com 17 anos e alegou que a criança teria se engasgado com um pedaço de frango. No entanto, laudo médico indicou q a criança apresentou a síndrome do bebê sacudido. O médico do Samu que prestou atendimento constatou que não havia resquícios de alimentos, o que ocorre em caso de obstrução de vias aéreas por engasgamento.

O caso
A ocorrência começou a ganhar repercussão ainda no ano passado. O fato ficou conhecido como o caso Nícolas. O menino, quando tinha três anos, se afogou na piscina de casa. Na ocasião – em setembro de 2019 – ele estava com o padrasto e precisou ficar oito dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele sofreu um trauma de crânio. Quatro meses depois ele deu entrada no Hospital Universitário após sofrer o suposto engasgo. Segundo o padrasto, após se engasgar o menino teria caído e batido a cabeça, causando uma lesão grave. O menino foi trazido novamente de helicóptero para Maringá e até hoje tem graves sequelas físicas e cerebrais permanentes. O suspeito tem 18 anos. Ele está preso e vai responder pelos crimes de lesão corporal e estupro de vulnerável.

Leonardo Filho – Da redação

ANÚNCIANTES VIP´S