POLICIAL

Adolescente suspeito de matar universitária em linha férrea é apreendido pela polícia

Investigadores da Delegacia do Adolescente, apreenderam na tarde desta terça-feira, 19, na Vila Operária em Maringá, o principal suspeito de ter matado a estudante universitária, Anna Júlia Szielasko, de 18 anos. Os policiais cumpriram o mandado de apreensão, que foi expedido pela Vara da Infância e Juventude de Maringá. No final de março deste ano, o Judiciário recebeu a representação oferecida pelo MP. No entanto, não acolheu a representação pela internação.

Nesta terça, o Poder Judiciário determinou a apreensão do suspeito, um adolescente de 16 anos. O Ministério Público se manifestou afirmando que há provas da materialidade e indícios suficientes de autoria. Todo o trabalho investigativo entorno desta morte, foi coordenado pela delegada Luana Louzada Pereira Lopes, delegada titular da Delegacia da Mulher e do Adolescente.

O crime
Investigação da delegacia do adolescente, apontou que a estudante universitária Anna Júlia foi vítima de homicídio. O autor do crime seria o adolescente, que seria conhecido da moça. Anna Júlia morreu na madrugada do dia 23 de fevereiro, deste ano ao ser atingida por uma locomotiva. O fato foi registrado na Vila Regina, em uma linha férrea localizada nas imediações do IML.

Os dois teriam participado de um evento carnavalesco que acontecia no Parque de Exposições. Logo após o término da festa, os dois se dirigiram até uma plantação de girassol que tinha nas proximidades. Ao retornarem, a moça que residia no Parque Alvamar foi atropelada pelo trem, e teve morte instantânea. O adolescente que estava em sua companhia, pediu ajuda ao porteiro de uma empresa, localizada a poucos metros do local. Na ocasião, o rapaz relatou que ele e a amiga estavam sentados sobre a linha férrea. Mas quando o trem aproximou-se do casal, ele saiu, porém a estudante não saiu e o pior aconteceu. O garoto disse que acreditava em um suposto suicídio.

Já o maquinista da locomotiva, disse uma outra versão. No depoimento coletado na 9ª SDP, o trabalhador relatou que os dois jovens estavam de pé sobre a linha férrea e aparentemente brigando. Ele acionou a buzina, mas não foi possível evitar o acidente. Desde então a Polícia Civil investiga o caso. Na época nenhuma linha de investigação foi descartada pela polícia.

Depoimentos constantes no procedimento e versões contraditórias do adolescente indicam que Anna Júlia não cometeu o ato extremo. Diante dos fatos, a Polícia Civil representou pela internação do menor.

Repórter Corujão – Equipe Pinga Fogo e Corujão Notícias

ANÚNCIANTES VIP´S