No final de fevereiro, uma dessas aeronaves foi usada pela empresa para transportar passageiros na Rota Guarulhos/Maringá/ Fotos: Jaasiel Abner

A Gol Linhas Aéreas suspendeu na última segunda-feira, 11, as operações das suas sete aeronaves modelo 737 MAX 8. No final de fevereiro, uma dessas aeronaves foi usada pela empresa para transportar passageiros na Rota Guarulhos/Maringá. A decisão da Gol se deu após a queda de um jato da Boeing na Etiópia no último domingo, deixando 157 mortos. No fim de outubro de 2018, outras 189 pessoas morreram com a queda de um outro 737 MAX 8 em um voo da Indonésia Lion Air.

A presença de uma aeronave do mesmo modelo envolvido nos dois acidentes internacionais foi registrada por maringaenses. Na noite do dia 27 de fevereiro, a aeronave pousou no aeroporto de Maringá trazendo passageiros do Aeroporto de Guarulhos. Na manhã do dia seguinte, retornou para São Paulo. Esta aeronave (prefixo PR-XMA) iniciou suas operações em Maringá em 13 de julho de 2018, quando foi recepcionada com o tradicional “Batismo” feito aos aviões que pousam na cidade pela primeira vez.

Segundo a Gol, a empresa confia nas aeronaves da Boeing (sua fabricante exclusiva desde o início de suas operações em 2001), mas decidiu pela suspensão das operações deste modelo, até que os fatos sobre os seguidos acidentes se esclareçam. A Gol garante não ter sido registrado nenhum incidente com suas aeronaves e espera retornar o uso dessas aeronaves o mais breve possível.

Reportagem – Márcio Gomes – Sistema Pinga Fogo de Comunicação

COMPARTILHAR